O Que Os Cupins Comem


O que os cupins comem

Os cupins se alimentam apenas de madeira? Quer descobrir o que os cupins comem? Celulose é o principal alimento dos cupins.

Como todos sabemos, os cupins se alimentam de madeira e, fazem isso para se alimentarem da celulose.

A celulose é um carboidrato abundante nos vegetais e por isso, comum na natureza. Ela consiste até metade da composição da madeira, principal componente de todas as plantas.

Os cupins se alimentam apenas de madeira?

Para responder a essa pergunta corretamente, há outras coisas a serem lembradas. Não, os cupins não apenas comem madeira seca, mas também consomem vários outros alimentos, incluindo pedaços de plantas em decomposição, grama seca, esterco animal, fungos, musgos e outras vegetações.

Os cupins podem ser classificados como herbívoros e decompositores

Os cupins foram identificados em alguns países como uma praga agrícola, porque algumas espécies consomem culturas como plantações e pomares de: palmeiras, cana de açúcar, arroz, milho, trigo, amendoim, café, chá, mandioca, algodão e etc.

Exemplos de comida de cupins

Os cupins se alimentam de madeira e papel. Na natureza, comem madeira de árvores e galhos mortos e detritos de plantas. No ambiente urbano, comem madeira, móveis, utensílios, vigas, pisos, artesanato, portas, janelas, livros, fibras naturais (linho, cânhamo, algodão, etc.).

O que faz sua dieta incluir tantos alimentos?

A razão pela qual os cupins comerem madeira, plantas, grama e muitos outros matérias vegetais é devido ao conteúdo de celulose neles. Cupins consomem celulose em todas as formas.

É por isso que esses insetos não apenas se alimentam de madeira em residências e edifícios, mas em tudo o que encontrarem no caminho que a conterá, consumirão papel, tapetes, roupas e qualquer outro material à base de celulose.

Então, da próxima vez que você se perguntar, do os cupins se alimentam? A melhor resposta será de celulose.

Sistema Digestivo dos Cupins

Em principio, o intestino dos cupins é uma espécie de reator que converte madeira em ácido acético. Os cupins não possuem enzimas capazes de digerir celulose ou fibra de madeira. Isso é conseguido graças a um complicado sistema simbiótico, pelo qual são capazes de extrair nitrogênio.

Dentro dos cupins, existem microrganismos semelhantes a uma ameba que, por sua vez, possuem uma bactéria capaz de desenvolver um grande número de processos químicos dentro do cupim, capazes de extrair o nitrogênio necessário da celulose, que posteriormente é transformado em açúcares e outros nutrientes.

Essa peculiaridade é exclusiva dos cupins e, portanto, eles são a base do estudo de cientistas, que tentam encontrar neles e em seu complexo sistema de alimentação a chave para o desenvolvimento de novos biocombustíveis.

O papel do cupim trabalhador

Deve-se notar que é o cupim operário é que tem a capacidade de digerir celulose; portanto, é responsável por alimentar o restante dos indivíduos da colônia como a rainha, cupins soldados e larvas.

A maneira como ele faz isso é chamada de trofalaxia: os cupins trabalhadores transportam alimentos no estômago e os transmitem aos outros outros indivíduos do grupo de cupim através da regurgitação.

Predadores

Existem muitos animais que comem cupins. Existem muitos predadores artrópodes, como formigas, centopeias, baratas, grilos, libélulas, escorpiões e aranhas, répteis como lagartos e anfíbios, como sapos e rãs também consomem cupins.

Outros predadores incluem tamanduás, lobos, ursos, pássaros, raposas, insetos e ratos. Existe uma espécie de lobo insetívoro que é especializado em comer cupins. Ele os localiza pelo som ou pela detecção do cheiro que os soldados secretam. Os chimpanzés desenvolveram ferramentas especiais com as quais usam para caçar cupins que estão dentro da colônia.

O maior predador do cupim é a formigas. Existem gêneros especializados em caça-los. As formigas não são os únicos invertebrados que se alimentam dos cupins, já que muitas vespas também as consomem.

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on PinterestShare on LinkedInShare on TumblrEmail this to someonePrint this page


Tópicos relacionados: